Música Relações ecológicas – Vestibular

– Som e vídeo disponíveis no link:

 

MÚSICA – RELAÇÕES ECOLÓGICAS 

(Autor desconhecido)

As relações podem ser

pra ganhar ou então pra perder.

Existindo ou não harmonia,

isso é o que devemos saber.

Ô ieiê ô iaiá, Ô ieiê ô iaiá

Ela terá harmonia se não houver prejuízo

e se alguma das partes tiver algum benefício.

Colônia tem indivíduos, podem ter corpos ligados, são bactérias, corais ou alguns protozoários.

Sociedade é marcante, os corpos são separados, organizados em funções como as abelhas já são.

O crocodilo e o palito na protocooperação,

ajuda não-obrigatória, faltando não morrerão.

Porém no mutualismo a união é vital,

algas e fungos são liquens, protozoário e cupim.

Comensalismo um ganha outro não tá nem aí.

O leão deixa pra hiena e ela morre de rir.

Inquilinismo em orquídeas que apoiadas crescerão, peixe entrou no holotúria que serviu de proteção.

Finalizando harmonia, cabra preste bem atenção,

se você não se ligar, é bom por recuperação.

REFRÃO

Mas se houver prejuízo, desarmonia já é.

Um ganha e o outro se ferra e assim não vai dar pé.

Competição é danada, o recurso faltará,

disputa é sempre acirrada e o mais forte vencerá.

No amensalismo produtos fatores inibirão que a espécie amensal cresça, antibiose serão.

O predatismo apresenta a presa e o predador,

o veadinho deu mole e o leão abocanhou.

Canibalismo aparece dentro da mesma espécie,

matou e teve motivo, em peixes isso acontece.

Parasitismo famoso, vivendo às custas alheia,

é o parasita na boa e o hospedeiro esperneia.

Pra acabar!

Pra acabar com a desarmonia, cabra preste bem atenção, se você não se ligar você vai tomar no… no prejuízo.

REFRÃO